Juliana Stein (Passo Fundo, RS – 1970) formou-se em Psicologia e, em seguida, viveu em Veneza e Florença por dois anos, onde estudou desenho, história da arte e aquarela. Começou a fotografar no final dos anos noventa.

Inicialmente, as séries fotográficas de Juliana Stein enunciam e documentam a crise em que submergiu a ideia de sujeito moderno, ancorada numa concepção de seres humanos uniformes e dotados de identidade fixa e autonomia plena. Em vez da afirmação da integridade desse sujeito, é o seu caráter fragmentado e difuso que seus trabalhos apontam. Em vez de identidades estáveis, é o efêmero e o múltiplo que assinalam. Não há em suas imagens a pretensão do comentário discursivo e culto; tampouco se pretendem engajadas numa atitude crítica ou celebratória do estado de confusão de limites entre as coisas do mundo. Nas imagens, Juliana Stein apresenta retratos de homens que, valendo-se de cosméticos, perucas e roupas femininas, travestem-se de mulheres. São fotografias que, a despeito das razões que levam cada um deles a assumir outra identidade sexual, sugerem a condição transitória e circunstancial do indivíduo na contemporaneidade – não mais estável, mas se refazendo a cada instante; não mais uno, mas dividido de modo irreparável. A postura afirmativa de cada um deles parece dar sentido comum e potência a desejos que se querem diferentes daquilo que é imposto como norma.

Mais recentemente, sua obra se transforma, colocando em xeque a representação dos territórios da arte, espaços e sujeitos. Curtos textos agora são impressos em placas de acrílico, que Stein denomina como autobiográficos. “Tudo se passa como se meu poder de acesso ao mundo e o de entrincheirar-me nos fantasmas não existissem um sem o outro. Assim, é justamente quando tento me aproximar que crio um afastamento.” Os questionamentos de Stein já estavam presentes em discursos anteriores, como imaginação, indignação e tempo presente. Ela se refere a um momento único e particular que já não existe e que se deixa marcar no tempo que já não é. Stein abandona o sujeito explícito de suas fases anteriores, para trabalhar com ficções do sujeito enigmático, lúdico, misterioso. Esta pesquisa é uma tentativa de articular espaços da fotografia em torno do sentido opaco das coisas que escapam, e que nos inscrevem mais do que podemos escrever sobre elas.

ler mais >

 

Oops, 2017

Acrílico e metal

120 x 154 cm

A verdade é cheia de erros, 2017

Acrílico e metal

120 x 154 cm

Sente mas não sabe que sente então não sente, 2017

Acrílico e metal

120 x 90 cm

Não está claro até que a noite caia, 2017

Acrílico e metal

154 x 120 cm

Sem título, 2016

Impressão lambda, papel fugi crystal

100 x 100 cm

Sem título, 2016

Impressão lambda, papel fugi crystal

100 x 100 cm

Sem Título, 2011

Fotografia

100 x 100 cm

Sem Título, 2012

Fotografia

100 x 100 cm

Sem Título, 2011

Fotografia

100 x 100 cm

Sem Título, 2006 - 2008

Fotografia

100 x 100 cm

Sem Título, 2013

Fotografia

100 x 100 cm

Sem Título, 2013

Fotografia

100 x 100 cm

Sem Título, 2013

Fotografia

100 x 100 cm

Sem Título, 2006/2018

Fotografia

100 x 100 cm

Biografia

 
1970
Nasceu em Passo Fundo, Rio Grande do Sul, Brasil
 
Formação
1992
Graduação em Psicologia, Universidade Federal do Paraná
 
Exposições Individuais
2019
Não está claro até que a noite caia, SIM Galeria, São Paulo, Brasil
2017
Não está claro até que a noite caia, MON - Museu Oscar Niemeyer, Curitiba, Brasil
2014
The Darkest Water, Crone Galerie, Berlim, Alemanha
 
Exposições Coletivas
2020
Tramas, SIM Galeria, Curitiba, Brasil
2018
Bienal do Mercosul, Porto Alegre, Brasil
Sesc Paço da Liberdade, Curitiba, Brasil
2017
Luz Matéria, MON - Museu Oscar Niemeyer, Curitiba, Brasil
Diálogo MAC-MON, Curitiba, Brasil
Bienal Internacional de Curitiba, Curitiba, Brasil
2016
Bienal SIARTE, La Paz, Bolívia
HIATO, SIM Galeria, Curitiba, Brasil
2014
BRICS, Oi Futuro Flamengo, Rio de Janeiro, Brasil
Tupy or not tupy, Museu Oscar Niemeyer, Curitiba, Brasil
2013
55a. Exposição Internacional de Arte da Bienal de Veneza, Veneza, Itália
Bienal Internacional de Curitiba, Museu Oscar Niemeyer, Curitiba, Brasil
Parque de Transgressões, SIM Galeria e Simões de Assis Galeria de Arte, Curitiba, Brasil
2012
Duas décadas de arte contemporânea – Artistas do Paraná na Bienal de Curitiba, Museu Oscar Niemeyer, Curitiba, Brasil
Place of Residence - with Artists from Brazil and China, Galeria ShanghART, Shangai, China
2011
Mostra inaugural SIM Galeria, Curitiba, Brasil
Poetas en Tiempo de Escasez, Montevidéo, Uruguai
2010
29o. Bienal de São Paulo, São Paulo, Brasil
Bienal de Quebéc, Quebéc, Canadá
Kaunas Fhoto Festival of Light, Kaunas, Lituânia
O Estado da Arte, MON - Museu Oscar Niemeyer, Curitiba, Brasil
2009
Bienal Vento Sul, Curitiba, Brasil
Encontros da Imagem, Braga, Portugal
2008
Fundação Cultural de Curitiba, Curitiba, Brasil
2007
Fondazione Triennale di Milano, Milão, Itália
2005
Carreau du Temple, Paris, França
2003
Festiva PhotoEspana, Madri, Espanha
Imagética, Fundação Cultural de Curitiba, Brasil
Itaú Cultural, Exposição Itinerante, Brasil
2002
Itaú Cultural, São Paulo, Brasil
2001
Funarte, Rio de Janeiro, Brasil
M21 Project, Langenlois, Áustria
2000
III Bienal Internacional de Fotografia Cidade de Curitiba, Brasil
 
Premiações
2004
Fotografia no Brasil, Funarte
2001
Mapeamento Nacional da Produção Emergente, Rumos Itaú Cultural, Brasil
 
Coleções
Fundação Cultural de Curitiba, Curitiba, Brasil
Fundação Edson Queiroz, Fortaleza, Brasil
Museu da Fotografia de Braga, Portugal
Museu de Arte Contemporânea, Curitiba, Brasil
Museum of 21 Century, Langelois, Áustria
 
Publicações
2017
Não está claro até que a noite caia, MON - Museu Oscar Niemeyer, Curitiba, Brasil
2014
BRICS - Oi Futuro, Rio de Janeiro, Brasil
2013
Brasilien - Steidl, Berlim, Alemanha
2012
Place Of Residence, ShangART Gallery, Shangai, China
2004
Fotografia no Brasil, Funarte
2003
Mapeamento Nacional da Produção Emergente, 2001/2003

São Paulo

rua sarandi 113a jardins
01414-010 são paulo sp

+55 11 3062-8980

segunda a sábado, 10h às 16h
aberto com hora marcada

Para agendar uma visita, clique aqui.



Curitiba

alameda dom pedro II 155 batel
80420-060 curitiba pr

+55 41 3232-2315

segunda a sexta, 10h às 16h
aberto com hora marcada

Para agendar uma visita, clique aqui.




Simões de Assis - Todos os direitos reservados 2020